jusbrasil.com.br
2 de Abril de 2020

O rapaz do RH espalhou que todos os funcionários terão que ficar 30 dias em casa.

Sou obrigado a aceitar ?

Patrick Correa, Advogado
Publicado por Patrick Correa
há 3 meses


Fala sério, todos nós somos apaixonados em tirar férias não é mesmo ?

Se você não é eu sou !

Porém, existe casos que elas chegam e te causam medo, mas isso eu te conto adiante.

E se você é como eu e adora tirar férias esse texto será ótimo pra sua vida, talvez isso possa acontecer com você ou com alguém que você conheça. Dessa forma, você poderá se ajudar ou até mesmo ajudar alguém.

Já parou pra pensar que sem conhecimento as empresas acabam tirando vantagem de você ?

É isso mesmo , muitas empresas abusam de seus funcionários por falta de conhecimento desses .

E o pior , a maioria desconhecem que ao ler um texto como esse já te ajudará contra esses abusos .

Se você é um trabalhador que sofre com abusos fique atento nesse texto , aqui você começará a entender melhor seus direitos .

Já imaginou falar sobre lei trabalhista com um superior seu ? Pois é, ao acompanhar meu perfil é isso que vai acontecer com você .

Muitos trabalhadores me relatam a insatisfação com os abusos sofridos dentro das empresas .

E isso ocorre pela falta de conhecimento por parte dos colaboradores . E o principal motivo desse desconhecimento é o simples fato de que os advogados sempre quando escrevem acabam usando termos técnicos e acabam afastando as pessoas que desconhecem esses termos .

Mas não se preocupe pois aqui você sempre terá uma linguagem de fácil entendimento .


Mas antes de você começar a aprender sobre seus direitos eu preciso contar o que aconteceu comigo no escritório no começo do mês. Dessa forma você entenderá o conteúdo mais rápido .

Eu te garanto, isso pode acontecer com qualquer um trabalhador. E tem mais, já te adianto que a história do Sr. João que te contarei aqui em baixo é bem comum de acontecer no dia-dia.

A história do Sr. João

No começo de dezembro, se não me engano era uma segunda-feira , dia 2 , me deparei com um senhor de meia idade no escritório. Pessoa humilde, com semblante cansado e com diversas dúvidas a respeito das tão sonhadas férias, afinal o Sr. João é gente como a gente.

Dizia ele que na empresa onde trabalha, empresa essa que é do ramo de transportes, tinha emitido um comunicado dizendo que todos os funcionários estariam de férias a partir de 5 de dezembro.

Mesmo sendo uma pessoa como todas e amar a tão e merecidas férias, ficou com medo, com receio, afinal aquela não era a prática comum na empresa.

Eu entendi o receio do Sr. João afinal, todos nós sabemos que muitos trabalhadores sofrem diariamente com práticas abusivas de seus empregadores. E aquele trabalhador tinha medo de ser essas férias, a última dele na empresa.

Contudo, sem tomar nenhuma medida interna resolveu me procurar para tirar essa dúvida.

Antes de continuar deixo um adendo, sempre que surgir uma duvida sobre algo que aconteceu a melhor orientação é que você procure um especialista. Assim você poupa conflito interno.


Caso não queira procurar alguém existe ferramentas jurídicas que podem te auxiliar. Um exemplo bem bacana é o JusBrasil .

Nela você procura pelo assunto em questão e de maneira individual tira sua dúvida, você também poderá ter o auxilio de um especialista nesta ferramenta.


Vamos voltar ao caso. Já está quase acabando.

Após me contar tudinho o que aconteceu eu o tranquilizei: Sr. João fique tranquilo pois embora seja um direito constitucional do trabalhador ou seja: Um direito seu, as férias são marcadas de acordo com a conveniência do empregador.

E se o empregador está anunciando que será concedida essas férias é sinal que eles precisam disso. E essa decisão é única e exclusiva da empresa.

E sim você é obrigado a aceitar, mas fique calmo! Essas férias não serão as últimas.

E você gostou dessa história ? Se gostou deixe seu comentário logo baixo e envie esse texto pra alguém que deseja ter mais conhecimento.

Afinal, conhecimento é tudo.

Quer saber mais sobre seus direitos ¿ Não deixe de me seguir aqui e nas redes socias .

Mais conteúdos :


Será que todo mundo conhece os seus Principais Direitos Trabalhistas ?

Como pode ser caracterizada a justa causa pela prática de jogos de azar

Direitos trabalhistas que você tem e não sabia!

Não deixe de visitar o meu perfil no instagran @patrickcorreaadv

4 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Se serão as últimas férias do Sr. João, não dá pra saber, o que de fato é certo é que essas férias ele terá que gozar na data que o empregador determinou, como bem dito pelo nobre colega. O que o Sr. João pode questionar (e que eu achei que estaria no texto, por causa do título) é se ele de fato tem que usufruir os 30 dias ou se poderá "vender" 10 dias e descansar apenas os 20 dias restantes. Isso é direito do empregado e a empresa é obrigada a abonar os 10 dias, se assim desejar o trabalhador.

É bom esclarecer isso, pois esse povo do RH (eu sou de RH há 10 anos), acaba não falando esse ponto, na boa intenção (quero sempre achar isso) para que todos possam, neste caso, usufruir de férias conjuntas, numa época que não tenha tanta demanda na empresa.

Legal poder conciliar os interesses da empresa e dos empregados, mas é sempre bom cada um saber o seu direito para não se sentir "enganado" pelo patrão, como normalmente acham, pintando a empresa que emprega, qualifica e dá propósito (sim, na sociedade contemporânea o trabalho ainda é um propósito de vida), como a vilã. Todos sabendo o que é direito e dever de cada um, fica mais fácil combinar o jogo e seguir feliz.

Parabéns pelo texto bem descolado. continuar lendo

Aliado à isso, embora a determinação seja exclusiva da Empregadora, ela DEVE avisar com 30 (trinta) dias de antecedência, para que não haja sustos, como do Senhor João, e para que o empregado possa se preparar.

Também achei que esse assunto estaria no texto, pois, é importante entender as nuances de cada situação.

Tive experiência em uma empresa para qual advoguei, que determinou as férias a um determinado empregado, entre uma semana e outra, cuja conduta foi questionada na justiça, resultando na condenação da empresa a multa descrita no artigo 137 da CLT, pelo TRT.

Parabéns pela abordagem! continuar lendo